ENGRAVIDAR… SER MÃE

“Não perguntes mais a uma Mulher “e agora, para quando um filho?” Seja ela casada, solteira, lésbica ou até indecisa. Tu não sabes a razão das suas escolhas, muito menos as cicatrizes que carrega nem as batalhas que já travou. Não perguntes a uma adolescente porque raio engravidou nem a uma quarentona porque razão ainda não o fez. Se não moras nas suas casas, se não vives as suas vidas, não questiones. Pára de perguntar às recém-casadas se já trazem o filho da lua-de-mel. Sabes lá se ter filhos está sequer nos seus planos. Não digas às Mães de menino que “já só falta a menina”, nem às de menina que “não pode fechar a loja sem tentar o casalinho”. Não há nada de errado com os filhos únicos. Quem dera que fossemos todos mimados só por causa disso, haveria muito mais amor no Mundo. Nao critiques se tem mais de 3 ou 4 filhos. À partida é porque pode! E se não pode, é problema seu, dá uma mão se for preciso. Não perguntes a Mulher nenhuma, seja mãe ou não seja “para quando?”. Não afirmes, não inventes, não opines. Tu não sabes quantos filhos essa Mulher já perdeu. Não imaginas se está destinada a ter dores para a vida toda. Nem fazes ideia se lhe “roubaram” o útero sem opção de escolha. Ou se o tem, mas este a traiu! Não perguntes, abraça e oferece a tua presença. Não é o número de filhos que define a felicidade de quem quer que seja.
Mais respeito pelos colos vazios, pelos pais de um ou de muitos. Mais compreensão, menos julgamento. Mais amor por favor.” ❤️

Texto original do blog Eu, agora Mãe

Imagem página Facebook Pais a Bordo